segunda-feira, 20 de abril de 2015

Scorpions de volta

Embora seja um tanto quanto infeliz essa historia de fazer por anos turnê de despedida e depois simplesmente anunciar um álbum inédito, é preciso respeitar o Scorpions. Afinal, são 50 anos na estrada e serviços inestimáveis ao hard rock. Os dinossauros alemães têm estado na estrada por muitos anos fazendo grande sucesso em todo mundo. Pensamos que a banda de Hannover, na Alemanha foi lentamente se preparando para a aposentadoria. Mas às vezes as coisas não saem como planejamos. Ao tentar fazer isso, a paixão se tornou mais forte e também apoiado pelos dois suecos Mikael Nord Andersson e Martin Hansen, o resultado é o novo álbum. Não bastasse a “pegadinha” do encerramento das atividades, este “Return to Forever” não é exatamente novo. Isso porque o repertório traz material novo, mas também músicas requentadas, que foram compostas nos anos 80 e que ficaram esquecidas na gaveta.

O início em "Return to Forever" é escolhido muito bem, a abertura com “Going Out With a Bang” é uma boa surpresa por dois motivos. Primeiro pela faixa em si, que é vigorosa, cheia de personalidade e uma pegada mais blues. Depois, pelo capricho e pela qualidade da produção. Forte e com um excelente riff de Schenker a canção é uma verdadeira explosão. O versículo soulful e o refrão mais pesado andam de mãos dadas muito bem, todos mantidos juntos por uma excelente linha vocal onde Meine dá seu melhor.

Mas é claro que, a essa altura, não dá para esperar nada muito diferente do que a banda já vem fazendo há décadas. A sonoridade continua a mesma, músicas lentas com muitos arranjos de violões e refrãos “chicletes”. Não é da noite pro dia que uma banda de sucesso muda seu estilo ainda mais na fase em que o Scorpions se encontra, sem precisar provar nada a ninguém.

Este novo álbum traz músicas interessantes também, como “Rock My Car” e “Rock n’ Roll Band”, por exemplo, são bastantes características, mas ainda soam divertidas e devem agradar bastante todos os fãs. As músicas são um rock rápido que lembra os bons tempos da banda. As guitarras sempre gritam muito e os grooves empurram a música. Destacaria estas como as melhores deste novo trabalho. O resto é previsível e não empolga tanto.

Já as baladas continuam bregas e pouco inspiradas. Elas são, certamente, o grande ponto negativo de “Return to Forever”. A versão básica do álbum tem 12 faixas e já soa repetitiva.

Os clássicos da banda realmente dão a marca registrada ao hard rock, porém, quem está à procura de novidades pode se frustrar, parece que estamos ouvindo álbuns antigos como Blackout” ou “World Wide Live”. Se o Scorpions se concentrasse em fazer novas músicas como “Going Out With a Bang” ao invés de ficar desenterrando riffs antigos e tentando emplacar baladas apelativas, o resultado seria muito melhor. Mais fã que é fã vai prestigiar de qualquer jeito.

Juntamente com essas 12 canções a versão deluxe, presenteia com mais 4 músicas e a versão do iTunes recebe outra faixa bônus também.


FICHA TÉCNICA:
Artista: Scorpions
Album: Return To Forever (12 faixas)
Gênero: Hard Rock
Ano: 2015

01. Going Out With a Bang
02. We Built This House
03. Rock My Car
04. House of Cards
05. All For One
06. Rock n’ Roll Band
07. Catch Your Luck and Play
08. Rollin’ Home
09. Hard Rockin’ the Place
10. Eye of the Storm
11. The Scratch
12. Gypsy Life

terça-feira, 31 de março de 2015

Novo CD do Angra renasce o Metal Nacional

Aguardado com ansiedade, o novo álbum do Angra, “Secret Garden”, marca a volta da banda após nova mudança de vocalista. Edu Falaschi assumira esse papel em 2001, substituindo André Matos, e permaneceu nele até 2012. O italiano Fabio Lione, ex-Rhapsody of Fire, contrariando algumas expectativas, foi confirmado como o novo vocalista, em caráter definitivo, e não apenas provisoriamente, como parecia quando entrou em 2013.

Assim como o título do álbum “Rebirth” indicava o renascimento do Angra com a entrada de Falaschi, a primeira faixa do novo lançamento, “Newborn Me” marca o novo momento de se reconstruírem. Além de Lione, a formação atual conta com o jovem baterista Bruno Valverde assumindo o lugar de Ricardo Confessori, que retornara para a banda em 2009. O trio das cordas, Rafael Bittencourt e Kiko Loureiro (guitarras) e Felipe Andreoli (baixo), formam a estrutura estável do grupo.

O Angra sempre cantou em inglês e este novo trabalho não poderia ser diferente. Surpreende o fato de algumas músicas possuírem uma abertura forte e bem trabalhadas, onde as guitarras estão à frente dos demais instrumentos, item que caracteriza a banda. É o caso da primeira, “Newborn Me”, a que melhor segura uma pegada durante toda sua execução, contando ainda com uma bem encaixada parte mais lenta no meio, aliada ao potencial vocal do novo frontman, que forma um casamento perfeito entre instrumental e vocal.

Não por acaso, da segunda faixa em diante percebe-se uma similaridade musical, bem presente nos álbuns do Angra, sempre destacando a presença forte das guitarras, trazendo riffs bem destacados. Destaca-se a faixa “Perfec Symmetry”, com um andamento alto e constante, mostrando o talento das novas baquetas da banda, Bruno Valverde, que é paulistano de apenas 23 anos, tendo com seu tutos o fantástico Virgil Donati e não deixando nada a desejar ao antigo titular do cargo, o mestre Confessori. Essa nova aquisição na cozinha da banda, traz o Angra próximo a sua essência, heavy metal acelerado.

Essas composições, então, marcam o lado mais heavy de “Secret Garden”. O lado progressivo pode ser conferido claramente na maioria das faixas, apreciar esse estilo demanda atenção nos detalhes. Nota-se a presença de um trabalho aprimorado nos vocais semelhante às bandas dos anos 80, muito agradável aos tímpanos.

Mais uma vez, a voz potente e marcante de Rafael Bitencourt teve espaço em algumas faixas deste álbum. Ele sempre marca presença nos vocais do Angra, desde que descobriu este talento. Outra qualidade indiscutível e que aparece latente, são os solos e harpejos das guitarras, a dupla de seis cordas evolui e encanta a cada álbum. Esta característica marca a banda, destacando as cordas como o forte do Angra.

Deixaram de fora influências de música brasileira, cuja ausência alguns fãs lamentarão. É a nova fase do Angra e “Secret Garden” se situa bem acima dos seus últimos lançamentos, lado a lado com o melhor do que cada formação já produziu.

Album: SECRET GARDEN
Ano: 2014
Mixagem: JENS BOGREN / ROY Z

01. Newborn Me
02. Black Hearted Soul
03. Final Light
04. Storm of Emotions
05. Violet Sky
06. Secret Garden
07. Upper Levels
08. Crushing Room
09. Perfect Simmetry

10. Silent Call

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

MALTA ou CREED

Banda formada em 2013 por Bruno Boncini, Thor Moraes, Diego Lopes e Adriano Daga foi a grande vencedora da primeira temporada do reality show Superstar. A mistura de músicas românticas com rock e os vocais rasgados garantem a identidade da banda.
A banda campeã da primeira temporada do programa Superstar lança o seu primeiro álbum “Supernova” reunindo treze faixas, sendo nove delas já conhecidas por quem acompanhou a banda nas fases de eliminação do programa, como “Memórias” e “Diz Pra Mim”. A faixa título dá um tom mais pesado misturado ao repertório romântico dos quatro rapazes de São Paulo. Pra quem curte bandas como Nickelback e Creed, eis sua versão brazuca.
No reality show, a banda foi apadrinhada por Dinho Ouro Preto e surpreendeu a todos, sobretudo na estreia com a música “Memórias”, inspirada no single “Come Wake Me Up”.
     Após a primeira apresentação na TV, o vocalista Bruno Boncini declarou: “A gente pode dizer que essa foi a primeira vez que fizemos um show juntos. Estávamos em estúdio, gravando, porque pretendemos ser uma banda de música autorais”. O vocalista ainda fez questão de comemorar o bom resultado na votação popular, que superou a marca de 80% de aprovação: “Para nós, é uma alegria muito grande ter sido aprovado com uma música nossa. Foi tudo muito rápido, mas a gente meteu a cara”.
     Sempre no topo das bandas com melhores resultados no SuperStar, a Malta não perdeu o primeiro lugar e ainda apresentou outras grandes composições próprias, como “Nova História” e “Diz Pra Mim”. O quarteto paulista iniciou em agosto de 2014 uma grande excursão pelo país.
A Malta é uma banda de pop rock que foi empurrada pela mídia, mas continua na árdua missão de conquistar o público brasileiro. O grupo apostou em uma linha já praticada por bandas de fora do país, como Creed, criando letras em português. Muitos fãs não são adeptos desta prática, pois julgam ser uma letra forçada, visto o costume de sempre escutar músicas cantadas no idioma inglês. A sonoridade da banda tem pouca novidade musical e tenta imitar os gringos sem dar um toque nacional na coisa. A banda se define como “bruto romântico”, já que todas as letras falam muito de amor e relacionamentos, mas na prática isso passa bem longe. A banda utiliza uma linha sonora bem comercial, sem grandes atrativos, salvo, a voz, que também se “inspira” em bandas de fora do país. O objetivo de cada grupo aliado à proposta comercial se aplica à Malta, que é sinônimo banda popular, com refrão fácil, melodia simples, solos bobos e pouca inovação. Direcionada a grande massa, a banda usa o romantismo nas letras para atrair fãs, mas foi se o tempo que isso era sinônimo de sucesso. Trabalhar na produção musical e buscar algo original, é um caminho que deve ser buscado para quem quer realmente se tornar inesquecível e marcante.

A Malta subiu ao palco do Prêmio Rock Show Santos não só pra fazer mais um show da turnê Live The Dream, mas para receber os três prêmios das categorias Artista Revelação 2014, melhor vocalista (Bruno Boncini) e melhor baixista (Diego Lopes). A votação foi aberta ao público e em pouco menos de um mês a banda foi campeã em todas as categorias que estava concorrendo. A banda tem um forte trabalho de mídia tendo mais de 3 milh    ões de seguidores no facebook, para os fãs conferirem mais informações segue o site oficial da banda www.maltaoficial.com.br

Ficha Técnica
Título: SUPERNOVA (13faixas)
Artista: MALTA
Gravação: SOM LIVRE

Ano: 2014

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A 00:00 tem qualidade

00:00 é mais um símbolo do que propriamente um nome, permitindo que o publico possa pronunciar o nome da banda da maneira que achar melhor ou na língua do seu próprio país, ex: (meia noite, zero hora, midnight, minuit) assim uma pessoa de um país diferente do pais da banda pode pronunciar o nome da banda sem maiores dificuldades e em seu próprio idioma. A banda é formada por Moisés Martins, Elias Ferreira, Ediel Castro, Kiko Sanches
Alexandre Pedraça e Jean Rhoten, todos com “PhD” em qualidade e talento.
                                                    
Em 2011 a banda finalizou as gravações do seu primeiro vídeo clipe com a musica "Get Up". A repercussão do público e da crítica foi positiva, sendo o clipe vencedor do concurso "My Band TV" realizado pelo site Britânico "R&R World". A mesma música sairá em 2015 como trilha de um seriado de televisão que será brevemente divulgado.

Falar da 00:00 é muito fácil, um adolescente com “cabeça” de adulto, um prodígio. Acompanhei esta fantástica banda desde o inicio, quando faziam cover de Hellowen e outras bandas com este perfil. A evolução é visível na sonoridade, todos os detalhes são bem discutidos, visto que todos os integrantes tem formação acadêmica na música, transformar as ideias em músicas excelentes não é fácil, mas essa galera faz, capricha e se destaca no mercado. Todas as letras cantadas em inglês, que as vezes me pergunto o porque, mas logo vem a resposta, mercado internacional. Destacar o talento dos músicos seria redundante, todos os integrantes andam no mesmo ritmo na qualidade. A harmonia das músicas chama a atenção no conjunto da 00:00. Os arranjos sempre bem trabalhados e bem inspirados aliados a explosão vocal do Moisés, impressionam. A cada show a banda arrebata mais fãs, isso mostra que o caminha está trilhado. Percebe-se também a competência da banda nas baladas, gênero bem difícil de causar impacto, não digo de executar, mas a balada tem sua peculiaridade que é mexer com o coração e até isso a 00:00 acerta. O álbum promocional e homônimo vem com 5 faixas, todas cantadas em inglês. Este ano de 2015 parece ser o marco para a banda decolar de vez, com previsão para lançamento do álbum principal. O apelo visual é também um destaque, a escolha do símbolo “00:00” traduz e simplifica a universalidade da banda, pode ser conhecido em qualquer lugar. A música “Get Up” vem encabeçando o CD promo, mostrando um arranjo de alto nível, com backing vocals muito ilustres e as cordas dando o peso e suavidade na medida certa. Aposto todas as minhas fichas neste prodígio musical, a qualidade inclusive da gravação me impressionou, a preocupação com cada harmônico foi observada deixando todos os sinais dentro do espectro.

A banda faz um trabalho excelente nas mídias sociais e apresenta excelência no quesito Divulgação. Sem esquecer desta palavra mágica para todas as bandas que é o CLIPE, a 00:00 lançou o segundo clipe no youtube,  abordando objetivamente o tema levantado pela banda, teorias da conspiração, posicionando-se contra a Nova Ordem Mundial.  O clipe foi gravado em 7 diárias, sendo 6 em Manaus e uma na vila de Paricatuba, sendo o diretor o mesmo do primeiro clipe, Silas Eustáquio e com a produção inteiramente Manauara.


A musica do clipe “Living one more day” foi mixada em um dos melhores estúdios de Manaus, o Super Sônico (Betinho) e masterizada pelo Abbey Road (Londres). A banda fez alguns contatos no Reino Unido quando premiada pelo site Britânico, o que facilitou o intercâmbio para a masterização em Londres. Para o primeiro semestre de 2015 serão lançados singles periodicamente, ficando o próxima para o mês de março.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

CD impecável da Katastro

Em uma de minhas visitas ao site de acervo musical SoundCloud descobri esta fantástica banda Americana do Arizona chamada KATASTRO. Fundada em 2007, após injetar no mercado 4 álbuns de pouca expressão, a banda revoluciona sua sonoridade e presenteia nos com seu 5º álbum intitulado “NO MUD NO LOTUS”, lançado em novembro deste ano. O quarteto é formado por Andy Chaves nos vocais, Andrew Stravers na bateria, Tanner Riccio na guitarra, e Ryan Weddle no baixo. Influências a parte, a banda se inspira no West Coast Hip Hop tendo presença marcante a atmosfera noventista, como Red Hot Chili Peppers, Incubus e até o lendário mestre das guitarras, Jimi Hendrix.
O primeiro single do novo LP, "Runaway", rapidamente saltou para o topo do SoundCloud e Trending Música Chart, com mais de 35.000 acessos em apenas 1 semana.  Esta é a primeira vez que a banda trabalha com um produtor ao longo de todo o processo de composição e gravação. Curtis Douglas (The Maine, Eagles, Austin Gibbs e Sarah Robinson, The Midnight Special) no Mountain Studios Red se propôs a criar um trabalho que seja aberto e acessível, preservando o seu estilo de assinatura. Com um novo produtor e uma visão objetiva, a KATASTRO entrou em estúdio por um mês e meio, e surgiu com a EP, “NO MUD NO LOTUS”. O nome é derivado da idéia de Yin e Yang, em que, para alcançar o sucesso e felicidade, você tem que experimentar alguns momentos difíceis, ou seja, significa que para ter a felicidade que você deve experimentar o sofrimento. A flor de lótus só pode crescer na lama. Você não pode ter um sem o outro e eles andam de mãos dadas, ai justificasse o nome.
O vocalista Andy Chaves é conhecido por sua versatilidade vocal natural, capaz de mudar habilmente de estilos indo do rock ao hip hop facilmente. O trabalho com Douglas como produtor fez toda a diferença na concepção do álbum. A banda produz uma sonoridade muito peculiar, aplicando grooves com bastante contratempo e utilizando efeitos de delay na guitarra, que faz um preenchimento saudável no sumo musical. Letras falando de amor sempre dão certo, com os Americanos não foi diferente, neste álbum as melodias recorrem a arranjos simples, mas coesos, resultando uma sonoridade bem agradável. Destaque para a música de trabalho “Runaway”, campeã de acessos mostrando uma nova cara aos grooves tradicionais. Sempre batendo no tempo inverso, imprime um volume diferente e sempre subindo o clima da música. Achasse pouco esta combinação no mercado musical, principalmente no pop rock tradicional. Ouvindo os discos anteriores da banda, percebesse um amadurecimento incrível atribuído ao produtor Douglas, que percebeu o potencial dos gringos e o fez aflorar!

Esta então vai como dica para os que optam por um som bem desenvolvido e rico em acordes sinuosos e bem diferente das produções cotidianas. Ouça a KATASTRO com a mente aberta e revelo que muitas surpresas agradáveis virão nesta esplendida audição. Espero que todos sejam surpreendidos como eu fui ao conhecer esta banda!! Os fãs podem encontrar maiores informações no site oficial da banda www.katastro.com .


Ficha Técnica
Título: NO MUD NO LOTUS (9 faixas)
Artista: KATASTRO
Produção: MOUTAIN STUDIOS RED
Ano: NOV/2014